Blog do Ninho

Acompanhe nosso blog de Marketing Digital com notícias sobre Marketing, novidades, ferramentas e tudo o que você precisa para traçar as melhores estratégias.

Home / Blog do Ninho / LGPD: o que é, como implementar e o papel da agência de marketing nisso

LGPD: o que é, como implementar e o papel da agência de marketing nisso

Publicado em: 2 de agosto de 2021

LGPD: o que é, como implementar e o papel da agência de marketing nisso

Com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) batendo na porta, já em vigor, mas prestes a começar a aplicação das multas, fico feliz de te ver por aqui. 

Embora redundante, o termo “Lei LGPD” nunca foi tão pesquisado nos buscadores como agora, e isso prova duas coisas:  

  1. As empresas estão preocupadas por não estarem preparadas para a chegada da LGPD, e com razão, já que os negócios que não atenderem às normas sofrerão punições severas.  
  1. O mercado, mesmo tão próximo do prazo para aplicação das multas, ainda tem dúvidas. 

Por qual motivo dizemos isso?  

Olha, por vários motivos, mas principalmente pelas empresas estarem pesquisando por “lei LGPD”.  

Parece algo irrelevante (e talvez seja mesmo), mas pensa com a gente:  

Se as empresas estão pesquisando este termo por não saberem que a sigla significa Lei Geral de Proteção de Dados, e por isso colocam “lei” antes de “LGPD”, quer dizer que a desinformação sobre o assunto pode ser ainda maior do que imaginamos.  

E é neste ponto que queremos chegar.  

Quanto antes o assunto ficar claro, mais cedo você estará consciente sobre o impacto da LGPD no seu negócio, como implementá-la para evitar as penalidades e qual é o papel da sua agência de marketing digital nessa história toda.  

Vamos lá?! Continue a leitura e esteja preparado para iniciar agosto (mês que as multas começam a ser aplicadas) com o pé direito.  

Para que serve a LGPD e o que é considerado tratamento de dados?  

A LGPD, com influência direta da GDPR, que é uma lei de proteção de dados e privacidade dos usuários da União Europeia, surge para fortalecer a relação entre empresas e usuários.  

O que significa que, com a LGPD em vigor, as pessoas têm um maior controle dos seus dados e, em contrapartida, os negócios passam a ter um maior senso de responsabilidade. 

“Tá, mas quem vai controlar isso?”  

É uma ótima pergunta, vamos lá…  

Quando a LGPD foi criada, nasceu também a ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados) para cuidar da proteção de dados pessoais, fiscalizar o cumprimento da lei no Brasil e aplicar as punições em empresas que vão contra as normas no tratamento de dados. 

É importante deixar claro que é considerado tratamento de dados toda e qualquer atividade que faça uso de um dado pessoal na realização da sua operação, como:  

  • Coleta 
  • Produção 
  • Recepção
  • Classificação 
  • Utilização 
  • Acesso 
  • Reprodução  
  • Transmissão 
  • Distribuição  
  • Processamento 
  • Arquivamento 
  • Armazenamento  
  • Eliminação 
  • Avaliação  
  • Modificação 
  • Comunicação 
  • Transferência 
  • Extração 

Se a sua empresa possui dados de usuários, é sua obrigação fazer o máximo para manter esses dados seguros. 

Na real, você não deve apenas manter os dados seguros como precisa ter a permissão explícita para armazená-los.  

O que quer dizer que você deve pedir o consentimento para todos os contatos que já tem na sua base. Você pode fazer isso disparando um e-mail, por exemplo, pedindo esse “aceite” do público.  

A regra vale para os novos leads também. Para esses, deixe claro desde o início como e para o que os dados serão usados.  

Para reforçar: tudo precisa ser muito claro, inclusive o consentimento do público. Sejam os novos contatos ou aqueles que fazem parte do seu legado até aqui.  

E sabe de uma coisa? É preciso ter muito cuidado. Afinal, se grandes empresas sofrem vazamentos de dados, a sua empresa e qualquer outra, independente da área, podem sofrer também.  

Qual é o papel da da agência de marketing no processo de adequação da sua empresa?  

Seu negócio conta com uma agência de marketing e você anda se perguntando se são eles os responsáveis em adequar sua empresa às normas da LGPD?  

Ok, vamos esclarecer…   

Caso essa dúvida esteja martelando na sua cabeça, é importante que você saiba que o papel da agência é te ajudar em: 

Colocar a página da política de privacidade no ar, incluir aviso de cookies no site da sua empresa e estar de acordo com a LGPD sempre que precisar manipular dados dos leads. 

Com isso, podemos dizer que o papel da agência é ser responsável dentro dos serviços oferecidos, mas não de todo o processo de adequação da sua empresa.  

O que significa que a agência precisa conhecer e respeitar a LGPD e deverá cumprir todas as normas sempre que manipular os dados que a sua empresa possui. Mas o restante do processo é responsabilidade direta da sua marca.  

“Ué, então quem vai me ajudar a construir a política de privacidade? Como vou saber se a minha empresa está adequada?”  

Ótimo ponto. Veja:  

O que fazer para o seu negócio ficar “dentro” da LGPD? 

Sabendo o que é LGPD, você precisa, antes de qualquer coisa, entender o que você pode e o que não pode ser feito quando o assunto são as normas desta lei.  

Por estar em ênfase a importância da construção da Política de Privacidade no seu site, talvez dê a impressão que fazer apenas isso já fará com que você evite as penalidades, mas, acredite, vai muito além disso.  

Quer um exemplo? Lá vai:  

Se você utiliza e-mail marketing na sua estratégia, é preciso solicitar autorização clara do usuário para fazer o envio desses e-mails.  

Além disso, em cada e-mail enviado, precisa estar claro que o usuário pode se descadastrar da lista quando quiser.  

Sabe aquele aviso “se você não deseja mais receber esse tipo de mensagem, clique em cancelar sua inscrição”?  

Pois bem, não só todos os e-mails disparados devem conter um aviso como esse, como você deve respeitar a decisão do usuário, não enviando mais e-mails.  

Só isso? Não!  

Não deve ser feito 

Além do exemplo que você acabou de conferir, você também não pode: 

  • Captar dados de usuários sem deixar claro para eles como irá utilizá-lo  
  • Fazer remarketing para qualquer usuário que tenha acessado o site, seja home, categoria ou produto  
  • Comprar mailing 

O que você acabou de ver não pode ser feito de jeito nenhum, mas e o que deve ser feito?  

Ficou curioso? Confira abaixo:  

Deve ser feito 

Para estar dentro da LGPD, você deve: 

  • Não só avisar aos usuários que os dados serão guardados no momento que eles estiverem navegando no seu site como também pedir consentimento para isso  
  • Pedir consentimento do usuário por meio de caixas de verificação (checkbox) para disparo de e-mails ou mensagens no WhatsApp 
  • Revisar seus Termos de Serviço e criar sua Política de Privacidade de acordo com as normas da LGPD 
  • Garantir mais uma camada de proteção utilizando HTTPS (não é obrigatório, mas é super recomendado se você quer dificultar vazamento de dados) 

Já foi falado várias vezes no decorrer do conteúdo, mas vale muito a pena reforçar: seja um “livro aberto”.  

O que queremos dizer com isso é que ter sua empresa adequada às normas da LGPD significa ser transparente, deixando muito claro para os seus usuários sobre como a sua empresa manipula os dados.  

“Só que eu não tenho o conhecimento técnico necessário para colocar minha empresa dentro da LGPD… E agora? O que eu faço?”  

Vamos lá, continua com a gente:  

Quais profissionais você deve contar para realizar o processo de adequação da sua empresa? 

Chegamos em uma etapa importante.  

Implementar a LGPD passa por várias etapas. Entre as mais importantes, como já dito, está a criação de uma Política de Privacidade.  

E aí você deve estar se perguntando: se não é papel da agência de marketing criar esse documento, quem faz isso?   

Existem dois possíveis agentes: um advogado e o DPO (Data Protection Officer). 

O advogado pode te ajudar na criação da sua Política de Privacidade, mas se você precisar de alguém super especializado nisso para colocar sua marca dentro da LGPD procure um DPO.  

Esse profissional será responsável por todas as questões de proteção de dados da sua empresa.  

O que significa que o trabalho do DPO é completamente focado em ajudar a sua empresa a ficar de bem com a LGPD, evitando qualquer risco de penalidades.  

Conclusão: A LGPD veio para deixar tudo mais claro! 

Sabe qual é o melhor da LGPD? Essa clareza servirá tanto para o seu negócio quanto para os usuários.  

Pode até parecer que as empresas não serão beneficiadas, mas a realidade é que mesmo havendo risco de penalidades, você também contará com avanços.  

Se de um lado os usuários vão começar a descobrir o quanto seus dados são valiosos, pensando melhor e sendo mais cautelosos na hora de passar um dado pessoal…  

Do outro lado as empresas vão captar leads mais qualificados, realmente interessados no seu tema de atuação. Já que se o usuário precisa estar ciente do fornecimento dos dados pessoais, é certo que está interessado nas soluções oferecidas. 

Viu? No final das contas, existe um ganho nos dois lados.  

Se você se importa com os dados dos usuários, você se importa com o seu negócio e com os seus clientes.  

E, para dar início (ou concluir) seu processo de adequação à LPDG, junte seu pessoal de marketing com seu departamento jurídico, porque nenhum deles atuará sozinho nesse tema. 

Caso tenha alguma dúvida, preencha os campos abaixo e entraremos em contato!

    Autor

    • Somos uma agência de Marketing Digital em Curitiba que oferece resultados. Simples assim. Temos o objetivo de apresentar ao cliente um olhar estratégico e assertivo sobre o mercado, para só assim traçarmos estratégias focadas e embasadas em dados e na realidade que vemos hoje.

    Compartilhe esse conteúdo:
    Facebook Twitter Whatsapp Linkedin
    Deixe seu comentário

    Materiais para você relacionados

    ×

    Tem dúvidas? Entre em contato:

    × Olá!