Blog do Ninho

Acompanhe nosso blog de Marketing Digital com notícias sobre Marketing, novidades, ferramentas e tudo o que você precisa para traçar as melhores estratégias.

Home / Blog do Ninho / Conheça 7 dicas para ser um bom designer

Conheça 7 dicas para ser um bom designer

Conheça 7 dicas para ser um bom designer
Conecte-se no Linkedin: Linkedin

No início da minha carreira como designer eu tinha milhares de dúvidas. Várias vezes eu me perguntei como poderia aprimorar meus conhecimentos e me tornar uma boa profissional. Afinal, quais seriam as dicas para ser um bom designer?

Com o tempo, as respostas foram surgindo e, hoje, me sinto muito mais segura em relação ao meu trabalho. Apesar disso, existem algumas dicas de como ser um bom designer que eu gostaria de ter lido quando comecei a trabalhar na área. Vou falar um pouco sobre elas aqui. Continue a leitura! 

1. Inspire-se

Independentemente do ramo que você seguir — design gráfico, web design, design produto etc. — é importante, antes de começar um novo trabalho, buscar referências. Não, isso não significa que você vai sair por aí copiando infográficos e sites alheios, e sim que você vai absorver as informações das artes que você gostou e tentar aplicar no seu próprio trabalho.

Busque inspirações em sites, como Dribble e Behance, e na página dos designers que você admira. Quanto mais referências você tiver, mais bagagem você terá para aplicar em seus trabalhos. 

Muitos designers confundem buscar referências e se inspirar com plagiar uma arte. Temos que ter consciência de que, para sermos bons profissionais, temos que ter o nosso toque em tudo que fazemos. Apesar das referências, originalidade é muito importante nesse caso. 

2. Escute opiniões

Sabe quando você está focado no seu trabalho e alguém de fora dá aquela olhada de canto e diz “por que você não tenta outra cor?”. Durante muito tempo eu ficava incomodada com essas atitudes, afinal, esse era o meu trabalho, então eu sabia o que estava fazendo. Errado! 

O design, apesar de parecer, não é uma profissão individual. O que eu quero dizer com isso é que você nunca pode pensar que uma arte está bonita única e exclusivamente para você. Muitas pessoas verão o seu material, e seu foco deve ser o consumidor final. Só assim seu design será de fato efetivo.

Portanto, quando uma pessoa de fora opina, leve em consideração, porque muitas outras pessoas verão a sua arte e podem pensar a mesma coisa que ela. Isso não significa que todas as opiniões são, de fato, relevantes. Além de levar em consideração, precisamos filtrar as opiniões de fora e refletir sobre o que pode ser aplicado ou não. 

3. Busque cursos para aprimorar seu conhecimento

Como toda profissão, aprender nunca é demais. No design isso não é diferente. Independente de você ter feito uma faculdade de Design, Publicidade ou áreas relacionadas, não pare de estudar. Busque pós-graduações focadas no ramo que você quer seguir dentro do design ou cursos menores presenciais. 

Existem muitas empresas que oferecem workshops ou cursos de curta duração que acabam sendo bem úteis para sua profissão. Um exemplo é a Aldeia e a Conquer, que oferecem cursos que vão além do design. 

“Ah, Anna, mas eu não tenho tempo pra ficar me deslocando até o local dos cursos”. Sem problemas! Também existem muitos cursos online efetivos, e o melhor de tudo é que você consegue fazer tudo no seu tempo. A Udemy oferece aulas muito boas na área do design. Vale a pena dar uma olhadinha. 

4. Estude Marketing

Pelo menos um pouco.

O Marketing foi muito importante para a minha formação porque me deu noções de estratégia e a visão do consumidor. Entendendo como a mente do consumidor final funciona, conseguimos criar um material destinado àquele público, assim sendo mais assertivos. Como já falei anteriormente, o design não deve ser feito para você, e sim para as pessoas que receberão a sua arte. 

5. Esteja por dentro das tendências

Ser um profissional antenado é sempre bom. Saber o que está em alta, o que as pessoas estão buscando, em quem se inspiram, qual será o próximo smartphone do momento. Essas são informações que, por mais que você não vá usar de fato em suas artes, é interessante estar ligado. 

Leia sites de moda de vez em quando, pesquise informações sobre tecnologia, tendências de hábitos de consumo para os próximos meses. Essas informações, assim como as referências que mencionei no começo do texto, serão bagagem para sua criatividade. 

6. Não se preocupe apenas com a estética das suas artes

Achava que no design era tudo sobre o visual, né? Com certeza a parte estética é de suma importância — caso contrário, nem precisaríamos entender sobre cores complementares, hierarquias e outros conceitos importantíssimos da área. Porém, não é o suficiente fazer uma arte linda se ela não cumpre o seu real objetivo. 

Para explicar isso, vou usar exemplos bem exagerados de alguns produtos fictícios:

Um garfo com uma correntinha parece bem charmoso, mas totalmente inutilizável.
O mesmo se aplica para esse regador que não vai regar absolutamente nada.

O mesmo se aplica para esse regador que não vai regar absolutamente nada. 

O que eu quero dizer com as imagens é que, por mais que o design esteja impecável, não é o suficiente para que seja um objeto utilizável. 

Nosso papel como profissionais dessa área, além de criar coisas lindas, é solucionar problemas — não criar mais deles. Por conta disso, temos sempre que nos perguntar “se eu fizer isso, vou facilitar a vida do usuário?”. 

Isso não significa que devemos ser designers quadrados, que ficam apenas fazendo coisas sem criatividade alguma. Significa que tudo que criamos deve ser pensado para trazer informações de maneira mais objetiva, tornar o uso de um material mais agradável ou instruir as pessoas de forma clara e fácil. 

7. Ame o que você faz

A rotina do design muitas vezes pode ser cansativa. Temos que trabalhar com diversas ferramentas, buscar imagens, nossa criatividade deve estar 100% o tempo todo enquanto estamos trabalhando, então é exigido de nós um grande esforço mental.

Ame isso. Sinta orgulho dos seus trabalhos e agradeça por cada coisa nova que você aprender ou uma oportunidade nova que aparecer. Essa é, com certeza, a maior dica que eu posso dar, porque além de fazer um bom trabalho, você vai ter um nível de satisfação pessoal muito grande, o que contribuirá para uma vida mais leve. 

Gostou das dicas para ser um bom designer? O que acha de compartilhar esse post em suas redes sociais para orientar seus amigos? 🙂 

Compartilhe esse conteúdo:
Facebook Twitter Whatsapp Linkedin
Sobre o(a) autor(a)
Anna
Linkedin
Anna Forlepa

Sou Head of Design aqui no Ninho 😊! Passo mais tempo com meus gatos do que deveria e não me arrependo. Tenho fascínio pela experiência que o Design proporciona na vida das pessoas e sou apaixonada pela minha profissão. Formada em Publicidade e Propaganda pela PUC-PR e pós-graduanda em Gestão de Marketing pela Universidade Positivo.

Deixe seu comentário

Materiais para você relacionados