Blog do Ninho

Acompanhe nosso blog de Marketing Digital com notícias sobre Marketing, novidades, ferramentas e tudo o que você precisa para traçar as melhores estratégias.

Home / Blog do Ninho / Como não utilizar a inteligência artificial no Marketing Digital

Como não utilizar a inteligência artificial no Marketing Digital

Como não utilizar a inteligência artificial no Marketing Digital

A existência da inteligência artificial no marketing digital já é uma realidade. Há ferramentas capazes de otimizar a performance de campanhas de tráfego pago e tráfego orgânico.

O Facebook utiliza Inteligência Artificial para melhorar o feed de notícias e em anúncios patrocinados, o Google Ads nos anúncios responsivos. A I.A. está presente em vários contextos e ignorar isso não é uma opção para quem depende das ferramentas de marketing digital para atingir os resultados.

Um plano ideal é alinhar a sua inteligência humana com a inteligência artificial, para isso é preciso evitar alguns hábitos nocivos a sua produtividade. E aqui vão alguns erros de como você não vai cometer ao utilizar a I.A. nas suas estratégias de Marketing Digital.

Deixar tudo na mão do robô

Você simplesmente sair clicando na sua plataforma de anúncios patrocinados e esperar que as super-máquinas do Facebook, LinkedIn ou Google resolvam seus problemas de atingir seu público não é o caminho para utilizar a inteligência artificial a seu favor.

Vamos deixar bem claro que você tem que saber que quanto mais complexa é a atividade que você requer de um robô, mais tempo (e dinheiro) você vai gastar. Só lembrando de algo importante: todos os softwares do mundo foram programados por seres humanos que se dispuseram a trabalhar em sistemas que resolvem problemas.

Se você já sabia disso, agora é hora de saber que certas atividades computacionais são mais complexas do que outras que custaram dinheiro e tempo para serem desenvolvidas. E como avaliar essa complexidade é um assunto para outra conversa.

Não ler a documentação das ferramentas que adquiriu

Você pegou uma nova ferramenta de e-mail marketing para sua empresa e quer utilizá-la imediatamente. Tudo bem que boa parte das ferramentas de e-mail marketing tem funcionalidades bem parecidas entre si e normalmente tem um tutorial para começar a trabalhar. Mas ao ler a documentação completa, você pode identificar opções que sejam interessantes para o seu planejamento. A inteligência artificial está em tudo, lembre-se disso. Nessa leitura da documentação pode haver uma dica de ouro facilitando você atingir os resultados esperados.

inteligencia-artificial-no-marketing-digital-ads

Utilizar a Inteligência Artificial no Marketing Digital determinando apenas uma métrica de acompanhamento

Em qualquer planejamento de Marketing Digital você vai determinar, no mínimo, um objetivo e uma KPI (Key Performance Indicator – indicador chave de performance) alinhada a ele. Mas algumas KPIs podem fazer diferença no objetivo estratégico da sua empresa ou cliente. Porém, a sua inteligência humana pode perceber outras KPIs relevantes a serem consideradas em suas campanhas. Não ignore o seu aspecto empírico.

Você deixa para o Facebook otimizar sua campanha? Ele irá ajustar o investimento de acordo com o objetivo e otimização que você busca. Mas tem algumas variáveis que você deve ficar atento nas suas estratégias, como taxa de interação, custo por conversão, cliques. Por isso, deixar a sua campanha de tráfego, alcance, envolvimento ou qualquer outro objetivo na mão da máquina pode ser um erro crasso.

Um outro exemplo, há ferramentas de inteligência artificial para campanhas de Facebook Ads que fazem combinações entre seus criativos e públicos. Depois de um tempo determinado de testes, o robô define quais os melhores anúncios para que você obtenha os melhores resultados. Bem interessante quando você tem verba suficiente para fazer esses testes. Com uma verba curta, o que faz? Simples, você estuda o público, fuça no Analytics, no Facebook Insights, outros resultados de campanhas para aí sim, você fazer suas inferências.

É importantíssimo que você faça seus testes A/B, claro, mas com uma verba mais curta é melhor observar bem o público e reduzir o dinheiro investido nos testes. Avalie suas campanhas a cada 5 dias, no mínimo, e acerte conforme vão aparecendo os resultados. Ou seja, pode utilizar a I.A. sim, mas fique atento aos seus objetivos, otimize seu tempo e otimize sempre seu dinheiro.

Ignorar a importância da lógica

Você já pensou em de fato estudar lógica? Sim, ir a fundo em um estudo de um raciocínio válido de forma normativa ou filosófica. Se não, então é melhor agilizar essa compreensão, pois assim você poderá alinhar a sua inteligência com a inteligência artificial.

Pare de achar que não tem jeito com matemática, lógica, pois não precisa disso. Para entrar em qualquer grande companhia, você precisa passar por testes de lógica, e grandes companhias como Facebook e Google aplicam testes super complexos de raciocínio lógico. Você não precisa pensar como a máquina, mas tem que levantar suas hipóteses e comprová-las para saber como um algoritmo funciona.

Pra você, como se dá a verdade!? Pela lógica formal ela se dá pelas proposições verdadeiras que darão uma conclusão, por dedução, como verdade. De uma forma bem direta e simplificada para facilitar o entendimento, podemos dizer que a inteligência artificial terá seus pressupostos de verdade estabelecidos pelo programador do código ou quem pensou no algoritmos da máquina.

Uma forma de perceber isso relacionar com a nossa capacidade de raciocinar é através da condicionalidade, ou o “Se, Então”. Veja esse argumento: Se todos os cachorros são mamíferos e Totó é um cachorro, então Totó é um mamífero. O computador precisa de algo mais estruturado e o fluxograma pode representar isso muito bem, veja:

 

 

Temos um comando lógico muito utilizado nos algoritmos de inteligência artificial, o Se, Então. Colocamos uma pergunta que se ela tiver um “não” como resposta podemos estabelecer uma nova rotina de comandos e resolveremos o problema de descobrir o que é o Totó.

De forma prática, quando você vai gerenciar uma regra na sua conta de anúncios do Facebook ou Google, você terá que estabelecer uma instrução condicional semelhante a essa. Formalizar bem suas perguntas de forma a serem respondidas de forma lógica e estruturada vai te auxiliar a utilizar da melhor forma o potencial dos algoritmos.

É sério, é um erro você não entender nada sobre o raciocínio computacional (ou como a máquina pensa)

No computador ou algo é ou não é, 1 ou 0. Então quando você quer demais esperando apenas da máquina, você pode cometer erros como atingir um público que não lhe importa. Daí você quer vender um chinelo de R$ 3.000,00 conversando com gente que não tem dinheiro pra isso, deixando a sua verba ser jogada pelo ralo. Quanto mais nichado é o seu mercado, mais complexo será pro computador e, consequentemente mais caro falar com seus futuros clientes. A máquina faz o que você manda, lembre-se.

inteligencia-artificial-no-marketing-digital-facebook

E uma compreensão simples de lógica de programação e de algoritmos já pode te ajudar propriamente na utilização de plataformas complexas como Google Ads, LinkedIn Ads ou Facebook Ads.

Para ajustarmos a nossa inteligência com a da máquina, devemos aprender a pensar um pouco como ela e finalmente ajustar com o que precisamos dela.

Quero escrever mais sobre como podemos utilizar nossa inteligência humana para tirar melhor proveito da inteligência artificial no marketing digital. Quer sugerir, corrigir algum conceito, dê seu feedback, envie um e-mail para carlos@ninho.digital.

Compartilhe esse conteúdo:
Facebook Twitter Whatsapp Linkedin
Sobre o(a) autor(a)
Ninho Digital
Deixe seu comentário

Materiais para você relacionados